Como saber se meu CPF está sendo usado por alguém

Publicado por Jose Alfredo de Oliveira Neto em

Você recebe ligações de escritórios de cobranças sobre dívidas que não reconhece. Como se não bastasse, teve o nome negativado e não faz ideia de como isso foi acontecer. Nessa hora, vem a dúvida: como saber se meu CPF está sendo usado por alguém? Se você desconfia que há algo errado com seu documento, o melhor é buscar informações.

Esse tipo de problema é sempre urgente, até porque não se pode cancelar ou trocar o número do CPF, exceto quando há um mandado judicial. O melhor, nesse caso, é procurar uma solução – e que seja o mais rápido possível

No ambiente virtual, criminosos também atacam e podem roubar suas informações.

Como saber se meu CPF está sendo usado por alguém?

Se você está com essa dúvida no momento, saiba que os primeiros passos devem ser dados pelo próprio cidadão. Não há um método preciso para saber se seu CPF está sendo usado por alguém. Mas é interessante que você faça, em primeiro lugar, uma consulta aos serviços de proteção ao crédito.

Como alterar o seu cadastro do CPF

Geralmente, esse serviço é prestado de forma gratuita por entidades conveniadas – como as câmaras de dirigentes ou sindicatos de lojistas. Há também serviços que cobram pequenas taxas para monitorar seu CPF constantemente. Eles são bastante úteis quando você desconfia que está sendo lesado.

Caso o seu nome esteja sujo, ou seja, se alguém colocou seu nome em um cadastro de inadimplentes por falta de pagamento, informe-se sobre o credor. Em seguida, entre em contato com a empresa responsável por sua inclusão e verifique o que foi comprado em seu nome, onde e quando.

Se realmente não foi você que fez o débito, o segundo passo é registrar um boletim de ocorrência. Esse mesmo procedimento deve ser realizado em caso de roubo ou perda do documento.

Entretanto, a Receita Federal aconselha que, se o seu CPF estiver sendo usado indevidamente, você procure também um advogado. Nesses casos, geralmente é necessário recorrer à Justiça para retirar seu nome dos cadastros negativos.

Além disso, você pode ajuizar uma ação de danos morais, com direito à indenização. Dependendo dos valores, você pode recorrer a um Juizado Especial Cível (também conhecido como Pequenas Causas), onde não há necessidade de contratar advogado e arcar com os honorários.

Cuide do seu CPF

Quando se trata de CPF, todo cuidado é pouco. É de conhecimento público que há uma série de quadrilhas que roubam documentos com a finalidade de falsificá-los para a utilização em compras no comércio, solicitação de empréstimos em bancos e financeiras. Depois disso, é claro, vem o calote e a pessoa lesada é o contribuinte “proprietário” daquele cadastro.

Para as pessoas que já possuem CPF há mais tempo – quando o documento tinha formato de um cartão magnético – não há necessidade de usá-lo no dia a dia. Nenhum estabelecimento solicita mais o documento original, apenas o número para a consulta.

Para os mais jovens ou para os que estão fazendo a segunda via do RG, o número do CPF pode ser inserido neste documento – que também exige um cuidado especial. É preferível portar o documento original apenas quando for necessário.

Outro ponto importante é em relação à internet. Sempre que houver a necessidade de fornecer o número do seu documento, faça isso somente em sites seguros. Quando precisar entrar em uma página com senha, sempre aperte a tecla “sair” antes de fechar a página. Caso contrário, seus dados podem ficar expostos a hackers.

Ao receber ligações de empresas, nunca forneça seus dados pessoais. Há uma série de quadrilhas que aplicam golpes dessa forma. Quando precisar falar com a empresa, ligue você mesmo.

Categorias: CPF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *